Chefe da ONU saúda primeira partida de navio de Odesa na Ucrânia sob acordo de exportação de grãos

O secretário-geral da ONU, António Guterres, recebeu na segunda-feira o primeiro navio comercial que partiu de Odesa, na Ucrânia, sob a Iniciativa de Grãos do Mar Negro, intermediada pela Organização das Nações Unidas e Turquia.

O cargueiro carregado com mais de 26.000 toneladas de milho deve chegar ao local de inspeção em águas territoriais turcas na terça-feira. Após a inspeção, seguirá para seu destino final em Trípoli, no Líbano, disse Guterres.

“Este navio, o Merchant Vessel Razoni, está carregado com duas mercadorias escassas: milho e esperança. Esperança para milhões de pessoas em todo o mundo que dependem do bom funcionamento dos portos da Ucrânia para alimentar suas famílias”, disse ele a repórteres.

A partida do navio é o primeiro resultado concreto da Iniciativa de Grãos do Mar Negro. “A partida de hoje é uma enorme conquista coletiva do Centro de Coordenação Conjunta, criado na semana passada em Istambul sob os cuidados da ONU, com representantes da Ucrânia, Rússia e Turquia”, disse Guterres.

A Iniciativa de Grãos do Mar Negro, assinada pela Rússia e Ucrânia com Turquia sob a ONU no dia 22 de julho, permitiria volumes significativos de exportações de alimentos e fertilizantes de três portos ucranianos importantes no Mar Negro, sendo Odesa, Chernomorsk e Yuzhny.

O acordo visa garantir a passagem segura de navios que transportam grãos para os mercados mundiais em meio a preocupações com a escassez de alimentos devido à prolongada crise na Ucrânia.

“O que vemos hoje em Odesa é um importante ponto de partida. Deve ser o primeiro de muitos navios comerciais trazendo alívio e estabilidade aos mercados globais de alimentos”, disse Guterres.

“Juntamente com a facilitação acordada do acesso desimpedido de produtos alimentícios e fertilizantes russos aos mercados mundiais, trará alívio e estabilidade aos mercados globais de alimentos e ajudará a enfrentar a crise alimentar global”, acrescentou ele.

Garantir que grãos, fertilizantes e outros itens relacionados a alimentos estejam disponíveis a preços razoáveis ​​para os países em desenvolvimento é um imperativo humanitário. As pessoas à beira da fome precisam desses acordos funcionem, para sobreviver. Os países à beira da falência precisam que esses acordos funcionem, para manter suas economias vivas, disse ele.

De acordo com o espírito humanitário da iniciativa, o Programa Mundial de Alimentos planeja comprar, carregar e enviar 30.000 toneladas iniciais de trigo da Ucrânia em um navio fretado pela ONU, disse o chefe da ONU.

O conflito na Ucrânia deve terminar e a paz deve ser estabelecida, de acordo com a Carta da ONU e o direito internacional, disse ele. “Espero que as notícias de hoje possam ser um passo em direção a esse objetivo, para o povo da Ucrânia e da Federação Russa e para o mundo”.

Enquanto este trágico conflito continua, a Organização das Nações Unidas trabalha todos os dias para trazer alívio ao povo da Ucrânia e àqueles que sofrem os efeitos do conflito em todo o mundo, disse ele.

As partes da iniciativa trabalharam incansavelmente para alcançar este marco, com o apoio da Organização das Nações Unidas e Turquia, observou ele.

“Depois de falar com meus colegas, sei que eles trabalharam praticamente a noite toda, dormindo apenas uma hora, como todas as outras delegações do Centro de Coordenação Conjunta (em Istambul). É graças ao esforço deles que o Razoni conseguiu sair de Odesa com segurança. Saúdo seus esforços e sou grato a Turquia por sua liderança”, disse ele.

Em um comunicado à imprensa, o Centro de Coordenação Conjunta (JCC), estabelecido sob a Iniciativa de Grãos do Mar Negro, afirmou que autorizou o Razoni a sair de Odesa.

“O JCC concordou com as coordenadas e restrições específicas do Corredor Marítimo Humanitário Seguro e comunicou esses detalhes de acordo com os procedimentos de navegação internacional. O JCC solicitou a todos os seus participantes que informem seus respectivos militares e outras autoridades relevantes desta decisão para garantir a passagem segura da embarcação”, afirmou.

O JCC está monitorando a passagem segura da embarcação pelo Corredor Marítimo Humanitário Seguro, acrescentou.

O JCC é composto por representantes seniores da Ucrânia, Rússia, Turquia e da Organização das Nações Unidas.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, fala à imprensa na sede da ONU em Nova York, no dia 1 de agosto de 2022. Guterres recebeu na segunda-feira o primeiro navio comercial que partiu de Odesa, na Ucrânia, sob a Iniciativa de Grãos do Mar Negro, intermediada pela Organização das Nações Unidas e Turquia. (Xinhua/Xie E)

*Agência Xinhua

Sair da versão mobile